A Barca da Ilusão

dezembro 19, 2007

A Barca da Ilusão
Pequenina

A pequena barca passa…
Flutua alheia, sem rumo, sem pressa
Dentro de si, navega o sonho da promessa
Por sobre as ondas que no mar passeia
Desliza solta, sem rota, e sem norte
Na calmaria do silêncio, errante
De um continente que se faz distante
Não leva velas nem remos, nem vareiro…
Não se queda, é forte e destemida
A ilusão, seu ponto de partida
Tenta encontrar um lugar para aportar
Com o meu sonho que está em além-mar
Que as ondas mansas não o deixe “naufragar”
Vês-me aqui meu mar; a esperar…
És portador dos meus anseios, febris
Onde a imagem de um amor ausente
Reflete-se em suas águas cristalinas
Na luz do sol, no meu olhar, na amplitude…
Na lua salpicada em cores, nos lampejos
Tremo de amor, embriago-me em desejos
Queima-me a alma impetuosa, ardente
Busco os teus braços, os teus beijos
Mergulho em teu corpo intensamente
E fundo-me em ti perdidamente…

Anúncios