Tatuagens…

maio 22, 2008

Tatuagens…
Edvaldo Rosa

Em meu corpo carrego tantas tatuagens
que fizestes em mim com teus beijos,
com o premir de teus lábios,
em minha pele sedenta e quente!
Em mim tenho tatuagens
que fizestes em mim com loucura,
nas noites em que vivemos
nossos sonhos mais ardentes,
tatuagens que fizestes c´os dentes!
Em meu coração carrego tatuagens,
que teus carinhos cunham freqüentemente…
E minh´alma?
Traz em si as suas marcas!
Que me envolvendo docemente
faz com que seja e esteja mais calma!
Tatuagens de cores e matizes diferentes!
De formas tão inusitadas e insinuantes…
Minhas tatuagens são como outras tantas,
quem vê pouco entende!
Quem as nota como que se espanta!
E só nós sabemos delas todas
o que significam…
O que contam!

Anúncios

Vontade…

abril 16, 2008

Vontade…
Edvaldo Rosa

Minha boca tão seca, tão ávida

quanto anseia pelo nectar em sua boca…

Louca se entrega ao desejo de teus beijos,

e quanto não sonha e divaga

enquanto a sensação do beijo

em meu ser se propaga!

Saciada a fome de beijos,

meus lábios passeiam pelo teu corpo,

pouco a pouco, em tua tez macia

naufraga…

A fome é tanta e é vasta,

que não finda com teus beijos,

e em teu corpo procura o alimento

que a sacie… E debaste!

Teu pescoço, me embriaga,

perfumado, macio, pulsante…

Nele minha fome se alastra!

Mordisco o nóbulo de tua orelha,

enquanto murmúrios em meus ouvidos ecoam…

Louco, aperto teu corpo contra meu corpo!

Extasiado sinto-me cravado pelos teus seios…

Louco da fome que me invade,

quero mordê-los inteiros!

Vontades me invadem…

A noite será pouca para saciá-las…

Demorarei sei bem, um pouco mais

em teus seios…

Antes das outras vontades

serem saciadas…

Por estarem espalhadas

em teu corpo inteiro!

És o sol da minha vida!

fevereiro 21, 2008

És o sol da minha vida!
Edvaldo Rosa

És o sol deitando-se por detraz do horizonte,
por detraz das águas ,
fazendo a luz esconder-se,
fazendo com que a noite se estabeleça!
É assim quando se afasta de mim,
a luz da minha vida,
que as minhas noites se fazem!
Com brumas tão espessas…
que não vejo adiante…
Futuro?
Porvir?
Eternidade?
Meras palavras que balburcio,
com medo de que não hajam…
E assim vou de noite em noite,
espantando o fantasma da solidão,
o peso no peito palpitante,
a secura em meus lábios,
o suor nas palmas das mãos!
És a luz de meus dias,
o calor que aquece a tez fria,
que faz crescer o amor em meu coração!
És a luz que mata os fantasmas,
as ilusões de meus dias…
Que me aquece a alma,
faz bater, pulsar, vibrar, meu coração!
Talvez seja bom que sejas assim,
indo e vindo sobre mim,
pois não poderia viver sempre no verão!
E as mudanças entre luz e trevas,
calor e frio,
trazem ao meu coração,
a certeza do valor de teu amor pra mim,
grande, bela, importante, sensação!
Futuro!
Porvir!
Eternidade!
Possibilidades para a consumação de nosso amor!
E de nossa união!