Desejo

novembro 12, 2008

Desejo
Alessandra Meurer

Talvez hoje a luz se transforme em escuridão
num negro profundo que compõe os meus medos
quando tudo que eu sinto eu já não posso mudar
e se converte em dor de saudade dentro do peito.

Hoje , quem sabe debaixo deste céu estrelado
entre as estrelas das lembranças ajeitadas
no mais profundo da alma tão solitária
eu sinta que um dia por ti eu fui amada.

O vento da noite me dá como presente
a saudade de estar contigo uma vez mais
de sonhar sem me importar com o amanhã
contrariando a razão que devora minha paz.

Analiso tudo o que já passou procurando ver
um espaço diferente nesta enorme distância
que se aportou do nosso lado, bem dentro de nós
mas não dissipa essa ânsia insana de te amar.

Anúncios

Um novo dia

outubro 17, 2008

Um Novo Dia
Alessandra Meurer

O primeiro brilho da alvorada
abraça a manhã suavemente
e a madrugada lentamente
esmorece, acordando, despertando os céus.

Os raios do sol brilham formando um gradiente
seus raios luminosos cobrem a terra
e a força da natureza rompe em chuva que cai
com um cálido sorriso, acolhendo a aurora.

O sopro da brisa é delicado
embeleza com graça a virada da noite
formando uma cascata de finas brasas
encantando os céus com sua luz tão brilhante.

Caem gotas como um doce chuvisco
são diamantes descendo dos céus
amortecendo as sombras azuis
do horizonte e de todo o infinito.

Então eu fecho meus olhos
e deixo o vento acariciar o meu rosto
as gotas aquecem o meu coração
e as brumas se cruzam à minha respiração.

Quando eu olho ao redor
e vejo tanto esplendor
acorda dentro de mim
uma nova esperança
e com serenidade eu entendo
que devo renascer
para poder, com amor viver.

Não estou só!

agosto 17, 2008

Não estou só!
Alessandra Meurer

No silêncio imponente da solidão te espero!
num grau rarefeito, palavras não tem valor
em preto e branco é o espelho onde te vejo
frente a mim, quando a certeza é só a dor.

O coração bate forte, chama o teu nome
e na sensibilidade, o ar ganha o teu rosto
os olhos verdes vão emprestando à dimensão
o contorno do teu corpo e o olhar silencioso.

Ternurosamente a alegria explode em mim
na lembrança que começa a colorir o silêncio
golpeando minha alma e regando as raízes,
digo adeus à solidão, tu vives bem aqui!